domingo, 23 de outubro de 2016

O choro é (ou deveria ser) livre

No último fim de semana fui a uma festa, numa outra cidade. Apesar de não ter nenhum real pra contar história, resolvi fazer cabelo e maquiagem com uma pessoa que iria fazer de outras convidadas no local da festa. Costumo me arrumar sozinha e sempre tenho medo de ser produzida por uma profissional que não conheço, mas como todo mundo ia fazer, decidi arriscar. No fundo eu já sabia que me arrependeria. Mas não sabia que iria me sentir tão mal.

Não gostei do cabelo, não gostei da maquiagem: ela fez duas tranças em mim e deixou metade do meu cabelo, que é cacheado, solto, e eu fiquei parecendo uma daminha de honra, mas pra contrabalançar passou um batom vermelho vermelhaço vermelhante vermelhão e colocou uns cílios postiços de 3 metros. Eu gosto de batom vermelho, mas o tom fluorescente que ela escolheu não combinou nada comigo e, quando eu pedi pra ela escurecer, só foi ficando pior. Enfim, como já estava atrasada, aceitei como estava e, chegando em casa, tirei o batom, prendi a parte solta do meu cabelo e depois tirei os cílios postiços também. Ficou menos pior. Bem menos pior.

Mas eu já estava me sentindo horrível. E não consegui segurar o choro no meio da festa, enquanto ouvi as poucas pessoas que me viram chorando dizer que era uma besteira chorar por causa de uma maquiagem. Pode ser que seja. Mas há quatro anos me sinto horrível por dentro todos os dias e simplesmente não consegui fingir que estava tudo bem quando me vi no espelho e não me reconheci e nem me achei bonita. Não ser capaz de engravidar minou minha autoestima - e acredito que possa ser assim com muitas outras mulheres que passam por isso.

Há quatro anos que eventos sociais têm se tornado pra mim um martírio. O medo constante de que alguém vai fazer uma brincadeirinha comigo sobre ter ou não filhos, a angústia de que vão me fazer a fatídica pergunta e a certeza de que o tema maternidade vai surgir mais cedo ou mais tarde numa roda de conversa me tornam cada vez mais antissocial. Não me orgulho disso, tenho tentado melhorar, mas é assim que me sinto.

Porque, na maioria das vezes, eu engulo o choro. Mas nem sempre consigo. Por trás das minhas lágrimas, que podem parecer fúteis aos olhos alheios, tem uma mulher arrasada com o coração destruído.

33 comentários:

  1. Ah flor,fica assim não!!!É possivel recuperar a sua auto estima e dar a volta p cima,não se abate não!!Eu tbm nao gosto que outras pessoas me arrume,sei lá me sinto outra pessoa.Aprendi na marra a me produzir quando saiu e na maioria das vezes gosto do resultado!Bola pra frente querida!!
    bjos

    ResponderExcluir
  2. Quando não estamos nos sentindo bem, nada presta, nada serve...Te entendo...Mas, pense um pouco no seu marido, será que vc está sendo uma boa companhia? Muitas vezes me faço de forte para meu marido e olha que não é nada fácil,logo q perdemos nosso bb, algumas vezes o encontrei chorando com as roupinhas do nosso bb e tive que respirar fundo consolá-lo e mostrar que nós ainda tínhamos um ao outro...Força, vc não está sozinha!Bjo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Gabi. Nem sempre tenho sido uma boa companhia. Mas tenho tentado melhorar e mudar meu foco. Obrigada! Beijos

      Excluir
  3. Te entendo...isso acaba com nossa auto estima
    Eu consegui superar essa fase...mas ainda me incomoda o fato de pensar que irao me perguntar sobre filhos...eu ja fico armada rsrs
    bjo

    ResponderExcluir
  4. Ai amiga... Em todas as fases da vida temos nosso dias e até meses em que nos sentimos assim. Te garanto que vai passar... Mil beijos e espero que encontre dentro de você a beleza e a paz.

    ResponderExcluir
  5. Ai amiga... Em todas as fases da vida temos nosso dias e até meses em que nos sentimos assim. Te garanto que vai passar... Mil beijos e espero que encontre dentro de você a beleza e a paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assim espero, Munira! Tem fases q são mesmo mais difíceis, mas depois melhora. Bjs

      Excluir
  6. Tudo passa...
    Boas coisas estão por vir...tenha Fé

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. De fato atualmente a sociedade não permite o sofrimento. Não permite que l choro seja livre quando necessário, esquecem que muitas vezes a cura só começa quando o deixamos fluir. A ideia difundida de que sempre teremos que ser felizes e superar as coisas rapidamente muitas vezes sufoca.
    Desejo que Deus acalme seu coração para que no momento certo a sua mente comece a clarear e as dores se dissiparem. Fique com Deus!
    Beijos
    Ptt(Fiv-Amadurecimento da Alma)
    http://fivamadurecimentodaalma.blogspot.com.ar/?m=1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida Ptt. Desculpe o meu sumiço, mas estava precisando dar um tempo? Como vc está? Estou desatualizada dos blogs das amigas, ainda vou me inteirar de tudo. Bjs!

      Excluir
  9. Sei como te sentes! Te entendo pois já passei por isso... O que posso te dizer é que vai passar, na hora a gente sente raiva de ouvir isso e acha que não, mas vai por mim, vai passar. Um bjo grande!

    ResponderExcluir
  10. Aqui é a TenTante Curitibana....quando li suas palavras por um momento achei que eu tivesse escrito. É exatamente assim que me sinto. Qdo vou em eventos, ja fico arquitetando uma resposta, caso me perguntem sobre filhos, é inevitável! No dia 06.11 é aniversário de 1 ano da minha sobrinha, como eu queria estar feliz de verdade, vibrar, mas sempre vem a minha mente: Pq só eu não consigo???? Mandando energias positivas e muita luz pra você! Grande beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá tentante curitibana! Espero que tenha conseguido aproveitar o aniversario da sua sobrinha. É um sentimento bastante complexo esse, eu sei bem. Bjs e obrigada pelas energias positivas, estou mesmo precisando.

      Excluir
    2. Oi amiga! Ah, sim, até aproveitei, mas fiquei meio deprê depois..meu marido é padrinho da bebê, então imagine como me senti...
      E meu tio veio, passou a mão na minha barriga e disse: vc vai conseguir ter o seu também! afffff queria sumir

      Excluir
  11. Só posso te dizer que entendo a sua dor. Também me tornei antissocial e não sei mais qual desculpa arrumar quando me perguntam se pretendo ter filhos.
    O que tem segurado a minha tristeza, e confesso, não é sempre, é Deus. Tenho tentado ter fé e acreditar que Deus é capaz de milagres e que realmente irá realizar o meu sonho, o nosso sonho. Só assim consigo levantar todos os dias... E mesmo dessa forma, tenho dias mais difíceis, dias de muito choro. Mas estou me esforçando pra continuar vivendo, pra rever algumas amigas, pra desabafar (por mais que elas não entendam o meu sofrimento), pra ser uma esposa melhor pro meu marido que tem se esforçado tanto pra ser o melhor marido pra mim...
    Tente buscar forças em algum lugar. De preferência, em DEus, mas se não der, procure uma terapia, tente trabalhar esse luto que nós vivemos.
    Torço muito por você, desejo de verdade que você consiga acalmar seu coração e esperar pelo momento em que você será mãe. Porque o tempo Dele, infelizmente, é diferente do nosso.
    Um beijo bem grande!

    ResponderExcluir
  12. Eu só passei para te deixa um abraço e dizer que... bom, nem sei direito o que te dizer. Nem te conheço e torço por você, para que fique bem!

    ResponderExcluir
  13. Super te entendo. me identifico muito com seus posts. Cara dá dor de estomago pensar em evento social!!! e só tenho 1 ano nesta batalha... imagino como é para vc! :/
    Linda semana! e sim!!! o choro deveria ser livre!!!

    ResponderExcluir
  14. eu nem te conheço mas gosto muito de vc! Acho muito verdadeira sua forma de se expressar...
    Queria te confortar de alguma forma, mas sei que nada do que eu falar vai tirar sua dor.
    O choro é livre sim e o recomeço é uma benção!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, confeiteira querida! Saiba que também gosto muito de vc e sou super fã do seu jeito de se expressar. Me inspira a tentar ser mais leve! Quero a atualizações da pipoquinha!!! Bj!

      Excluir
  15. Minha querida, tente ficar calma. Vou fazer minha primeira FIV e imagino pouco o que vc deve estar sentindo. Pense na possibilidade de fazer ovo doação, não se martirize mais, não faz bem pra sua saúde. A ovo doação também será um bebe gerado na sua barriga com material do seu marido, pense nisso!! Beijos e fique bem

    ResponderExcluir
  16. Olá,

    Encontrei seu blog hoje, pesquisando sobre tratamento, e não consegui deixar de comentar. Não a conheço, mas desejo, de coração, que você fique bem, em paz. Só mesmo quem passa por esta situação sabe o que é. Começamos a ter medo de sair por conta dos motivos que você relatou. Escuto muita bobeira também e há momentos que a gente não consegue mais abstrair. Vou contar somente uma situação que aconteceu comigo, dentre as incontáveis: eu estava na fila do relógio ponto no trabalho, no horário da saída, fim de tarde, e fui ler algo no celular, quando uma colega de trabalho perguntou "o que você está vendo no celular? imagens do seu bebê?" . Olha o ponto que chega a agressão. Eu fiquei imóvel e sem resposta. Chegou um momento que eu era questionada diariamente sobre a maternidade. É realmente muito difícil, mas como você mesma disse, você vai se reerguer sim. Espero que vocês consigam se reorganizar e traçar novo plano. bjo em seu coração.

    ResponderExcluir