quarta-feira, 20 de abril de 2016

Embrião implantado no D2 com duas células e classificação C

Até que estou otimista nesse ciclo de FIV, considerando que sou eu e que é nosso 43o ciclo de tentativas, o quarto com tratamento de fertilização. Mas a classificação do nosso embrião, sua quantidade de células e o dia em que ele foi implantado nos deixam com muito medo. No dia da implantação, ficamos sabendo que nosso embrião era de classificação C, com 30% de fragmentação.

O embriologista fez questão de dizer que não era pra gente desanimar, que há casos de implantações bem-sucedidas com embriões C. Mas a realidade é que a taxa de sucesso de gravidez é menor nos embriões C do que nos A e B. A classificação é feita da seguinte forma, levando em consideração aspectos morfológicos do embrião:

  • Embrião A: possui menos de 10% de fragmentação;
  • Embrião B: tem entre 10% a 25% de fragmentação;
  • Embrião C: entre 25% e 50% de fragmentação;
  • Embrião D: acima de 50% de fragmentação.
Os fragmentos são pedaços de citoplasma que são excluídos da célula. E a taxa de fragmentação está associada ao sucesso da taxa de gestação, embora um embrião top A não seja garantia de gravidez.

O embrião também é classificado pela evolução do número de células. É esperado que:
  • Embriões com dois dias de desenvolvimento (D2) tenham de 2 a 4 células;
  • Embriões D3 > de 6 a 8 células;
  • Os blastocistos (embriões a partir do 5o dia) são avaliados de forma diferente. 
Nosso embrião, além de classificação C e 30% de fragmentação, encontrava-se com duas células em seu segundo dia de desenvolvimento (D2). Só duas células! Muito doido pensar que é o que basta para dar origem a uma vida.

Nas três FIVs que fizemos anteriormente conseguimos obter embriões de melhor qualidade, todos no terceiro dia de desenvolvimento (D3).
  • 9 células - classificação B (ou II)
  • 8 células - classificação A (I 1⁄2)
  • 9 células - classificação B (II)
  • 5 células - classificação B (II)
E, apesar de os embriões serem considerados melhores e apresentarem mais chance estatística de gravidez, não deu certo. Procurei bastante, mas não encontrei relatos de gravidez com implantação de embrião como o nosso (D2, classificação C e duas células) em sites e blogs brasileiros. Mas vi alguns relatos em sites americanos e ingleses, inclusive de mulheres que implantaram dois embriões D2 com duas células e tiveram gêmeos - ou seja, os dois embriões vingaram!

Então pode dar certo: existem casos que comprovam, lá na clínica mesmo, como o médico e o embriologista me contaram. Tento me apegar a isso para olhar para o copo meio cheio: focar nos 30% de chance de dar certo e não nos 70% de não funcionar. É um exercício difícil e diário (a cada minuto, diria), mas tenho que tentar.

Hoje é o D5 pós implantação embrionária. Senti algumas pontadas de cólicas, nada muito doloroso, mas uma lembrança de que meu útero existe, sabe? Em dois momentos do dia me deu um pouco de tontura, mas tava sentada. E dirigi por muitas horas para ir e voltar do trabalho, preocupada de que a posição não seja favorável. Se pudesse, passaria os dias de cabeça para baixo.

2 comentários:

  1. Vai tudo correr bem :)
    Os meus eram tipo A de 3 dias e hoje tenho aqui o meu menino que não me deixa dormir.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Olha, é verdade que cientificamente dizem que as chances com C são menores. Masss a gente sabe que quem controla tudo é Deus então depende dele, por isso que acontecem esses casos de dá certo =D
    Vamos manter a fé, que Deus diga amém.

    Beijo e super na torcida.

    ResponderExcluir