quarta-feira, 13 de abril de 2016

Gastos com FIV podem ser deduzidos do imposto de renda

Hoje não tem medicação, só o jejum que tenho que fazer a partir de meia-noite para estar na clínica amanhã às 9h. Então eu vim dar uma dica que foi muitíssimo valiosa para mim. Vocês sabiam que os gastos com tratamentos de fertilização in vitro podem ser deduzidos do imposto de renda?

Eu não sabia! Mas a enfermeira da clínica antiga me deu esse toque e, no último fim de semana, fiz a minha declaração de imposto de renda incluindo os valores das três fertilizações que fizemos em 2015 e tive a surpresa de receber uma restituição bastante significativa.

Aqui nessa matéria e aqui tem mais informações "técnicas" sobre a declaração e a restituição.

Me sinto muito - muito mesmo! - privilegiada por ter tido as condições de fazer três FIVs em 2015 e mais uma agora em 2016. Mas não foi fácil zerar todas as economias, por isso essa notícia foi tão boa: vamos reaver uma parte do dinheiro que investimos no ano passado, o que vai nos ajudar a pagar pela FIV atual - a nossa última, se tudo der certo!

E é bem simples: eu tenho todas as notas fiscais eletrônicas dos procedimentos de 2015. Bastou preencher com os dados com valores e CNPJ da clínica no aplicativo da Receita.

Os remédios não podem ser deduzidos do IR, a não ser que estejam incluídos na conta total da clínica, o que foi também o caso de 2015. Esse ano, infelizmente, a nova clínica só passou a vender os remédios quando já estávamos no meio do nosso ciclo de estimulação. Ou seja: tivemos que comprar a medicação na farmácia e não teremos restituição desse valor.

Então uma dica para quem está procurando uma clínica de fertilidade é se informar se a medicação para o estímulo é vendida no próprio estabelecimento. Não que esse deva ser o único critério para escolha da clínica, claro, mas é que os remédios custam (bem!) caro e poder obter uma restituição desse valor também já ajuda bastante.

Sonho com o dia em que toda mulher brasileira poderá fazer um tratamento de fertilidade de qualidade e sem custos no sistema público de saúde. Porque uma FIV ou mesmo uma inseminação são procedimentos totalmente inacessíveis para muitos. Mas, enquanto esse dia não chega, a dedução do IR já é uma colaboração.



6 comentários:

  1. Eu já sabia disso sim. =P Já estou com os recibos da FIV que fiz todos a mão para a declaração do ano que vem. Afinal é um investimento muito grande, né? Temos que correr atrás.

    mom
    aguardandodestino.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza. Guarda tudo direitinho pro ano que vem.

      Excluir
  2. Nossa eu não sabia não!! Muito legal sua informação, com ctz ajudará muita gente!
    Que Deus abençoe e venha seus bbzinhos!

    ResponderExcluir
  3. Muito bom seu texto!! impostantes informações!! Vou deixar isso anotado :)
    bjoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que você não precise, Andie, mas é bom saber, né? Bjão

      Excluir