quarta-feira, 23 de março de 2016

Má resposta e a baixa reserva ovariana

No fim de 2013, nosso primeiro ano de tentativas, após cerca de 13 ciclos negativos, recebemos o diagnóstico de "infertilidade sem causa aparente". Para nós foi especialmente frustrante porque significava que não havia muito o que poderíamos fazer: simplesmente não havia um motivo para que não conseguíssemos engravidar.

Passamos os seis primeiros meses de 2013 tentando naturalmente, no segundo semestre dei início à medicação para controlar a minha prolactina, sempre muito alta, e, logo no início de 2014, fizemos cinco ciclos com acompanhamento de ultra seriada e medicação para induzir a ovulação (entre eles clomid, gonal e ovidrel). Como não funcionou, a ginecologista  nos encaminhou ao médico especialista em reprodução, que, conduzindo uma investigação mais aprofundada, chegou a um novo diagnóstico: o de falência ovariana precoce ou FOP, já que adoramos uma sigla no mundo das tentantes!

Na verdade, uma possível falência ovariana precoce, que pode me levar a entrar na menopausa antes da hora da maioria das mulheres. Como eu ainda menstruo, não é possível afirmar com certeza que terei uma menopausa precoce. Mas é um fato que tenho baixa reserva ovariana.

Ele chegou a essa conclusão após avaliar o resultado do meu hormônio antimulleriano (prazer, nunca tinha ouvido falar na sua existência!), considerado baixo para a minha idade. Aos 31 anos, deu 0,99 ng/mL.

Mas o que isso significa? Que meus óvulos estão sendo gastos numa velocidade maior do que a média das mulheres. E isso faz com que, mesmo usando medicação para estimular a produção dos óvulos, eu tenha o que é chamado de má resposta. Enquanto as mulheres da minha faixa etária, geralmente, produzem entre seis e oito embriões num ciclo de FIV, eu não consegui produzir mais do que dois.

A má resposta foi confirmada também pela minha produção de folículos durante os ciclos de FIV: tive cinco, quatro, um (ciclo interrompido) e dois. É muito pouco comparado à média da minha faixa etária: não raro mulheres obtêm dez, 15 ou até 20 folículos com o estímulo.

Não existe ainda um exame que meça qual é a reserva ovariana de uma mulher: ou seja, não é possível determinar quando ela deixará de produzir óvulos nem quantos óvulos ela ainda tem. O que o antimulleriano permite é indicar a existência da baixa reserva.

E se, por um lado, nos trouxe respostas, trouxe também a sensação de, a cada dia, estar perdendo tempo, desperdiçando chances e, principalmente, óvulos. Pois a última FIV foi feita há seis meses e não tem muito como saber, de lá para cá, qual tem sido a minha evolução. Resta agora torcer para bater um recorde de folículos no próximo ciclo!

6 comentários:

  1. Oláa.. Vim conhecer seu cantinho, e já li o blog todo.. Quero te seguir pra acompanhar sua história mas não localizei a opção de "seguir"..
    Desejo toda a sorte pra vc nessa nova tentativa, só nós q passamos por todo esse processo entendemos todo o desgaste emocional, fisico e financeiros que enfrentamos.. Mas enquanto houver esperança, haverá fé! Fica firme.. estou na torcida!!

    beijão

    http://cheirodemilagre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita! Também estou te acompanhando! Tentei incluir a opção para seguir o blog, será que fiz certinho? Beijos

      Excluir
  2. Olá! Vim te visitar também e estou te acompanhando. Também não encontrei a opção de seguir...
    Realmente essa caminhada é muito difícil, qualquer coisa podes entrar em contato comigo.
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida, um beijo para você também, vamos juntas!

      Excluir
  3. Oi. Bom dia, sei q sua publicação é de 2016,mas tenho uma experiência com esse diagnóstico FOP, nem dezembro de 2016 tive um primeiro diagnóstico o médico falou q estava entrando na menopausa precoce,meu mundo caiu né, eu com 29 anos e não tendo filhos e esse diagnóstico. Daí procurei um especialista e daí veio o diagnóstico final, estava q nem vc menstruva mais não tinha folículos suficiente. Daí o diagnóstico de FOP. E no mês de março agora fiz o ultrassom para verificar qtos folículos eu tinha, tendo um resultado de 2 só no ovário esquerdo e no mês de abril eu engravidei, então tudo é possível se vc crer em Deus, pois tinha colocado tudo nas mãos dele, pois era só um milagre uma gravidez natural, e nesse ciclo com só 2 folículos eu engravidei e para o milagre ser completo,ontem 3 de maio de 2017 descobri q são gêmeos, ou seja os 2 folículos q eu tinha maduraram e fecundaram, então há esperança para aqueles q ainda acreditam em Deus e seus milagres, sou prova do seu amor. Deus abençoe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc me encheu de esperanças! Estou sem chão tb! 33 anos, sem filhos, sonhando em ser mãe, AMH de 0,46 e apenas dois folículos! Tenho muita fé que Deus nos dará um milagre, ou quem sabe dois! Obrigada por compartilhar a sua experiência!

      Excluir