segunda-feira, 25 de julho de 2016

O pesadelo não tem fim

Tive uma péssima resposta, ainda pior que do último ciclo. Não adiantou a dose mais alta, não adiantou a coenzima, não adiantou tomar nove injeções. Nada adiantou. O médico que fez a ultra na sexta-feira não me disse nada, mas logo vi que não aparecia imagem compatível com folículo na tela. No fim eu perguntei e ele afirmou: não tem nada no ovário direito (que tinha quatro folículos antrais na segunda-feira) e apenas um de 9mm no ovário esquerdo (que tinha apresentado dois folículos antrais). Ou seja: minha resposta foi praticamente nula.

Quando ele falou, eu já sabia que isso significaria mais um ciclo interrompido. Pouco depois me ligaram da clínica de SP, a pedido do médico, informando que deveria mesmo suspender a medicação e interromper o ciclo. De novo. De novo. De novo. De novo. 

Mais um ciclo perdido, esperanças jogadas no lixo.  Mas meu coração se despedaçou mesmo quando o médico me ligou, no fim do dia. Achava que ele poderia fazer alguma nova proposta, sugerir uma alternativa, mas ele enfiou logo uma faca no meu peito. Disse que tinha que ser realista e que eu tinha que saber que existe um limite. "Podemos achar caminhos para vencer a dificuldade. Mas tudo na vida tem um limite". E que eu e meu marido precisávamos entender qual era o nosso limite. Que poderíamos tentar exaurir todas as nossas possibilidades, mas sabendo que nossas chances são mínimas. Basicamente jogou a decisão pra gente.

Eu perguntei sobre o remédio, porque tenho a impressão que não me dou bem com essa medicação (usada também na quarta FIV, mas não nas 3 primeiras) e ele disse que dava no mesmo, que os remédios eram todos parecidos. Mas que, caso eu decidisse tentar mais um ciclo, ele poderia trocar a medicação para o estímulo. E depois eu não consegui falar mais nada, estava em prantos, agradeci chorando e desliguei.

Pela primeira vez, em todos esses anos de tentativas, eu pensei em desistir. Pela primeira vez consegui admitir a ideia de que eu talvez não tenha sido feita para engravidar mesmo. Pela primeira vez eu me imaginei tendo que aprender a lidar com essa frustração ao longo de toda a minha vida. Pela primeira vez eu reconheci que talvez não haja avanço científico capaz de me ajudar. E como tudo isso doeu - ainda está doendo e não sei se vai parar de doer.

Nem nos meus piores pesadelos eu imaginei que não seria capaz de engravidar. É difícil acreditar que isso esteja acontecendo comigo. Mil coisas passam pela minha cabeça: por que eu não fui avisada que a infertilidade era uma possibilidade, por que não congelei meus óvulos aos 20 anos, por que não fiz uma FIV logo em 2013? Mas a principal é: como serei capaz de suportar essa angústia? Eu realmente não sei.

Me sinto fora do mundo. Não conheço ninguém da minha idade que já tenha enfrentado quatro fertilizações, ninguém que possa fazer brotar alguma ponta de esperança. Na internet nunca encontrei relatos e nem blogs de mulheres que tenham feito tantos tratamentos como eu - se alguém souber e puder compartilhar, agradeço. Elas existem - eu já li um livro que mencionava uma mulher que fez 14 FIVs e conseguiu engravidar - mas não sei onde encontrar suas histórias.

Quando penso que tenho 33 anos, menstruo regularmente e ovulo também fico me perguntando: será que nunca vai dar certo? Será que se eu fizer 10 FIVs eu não vou mesmo engravidar?

No sábado de manhã o médico paulistano me escreveu. Eu tentei fazer com que ele não percebesse meu choro, mas foi meio impossível, então acho que ele se sentiu culpado. E falou sobre um medicamento relativamente novo, chamado Elonva, que consiste em uma única injeção com uma dose de remédio equivalente a de vários dias, que pode contribuir para manter constantes os níveis hormonais em mulheres más respondedoras. Pesquisei bastante e vi que os estudos em más respondedoras ainda são insuficientes, mas há indícios de que pode funcionar bem para esse grupo de mulheres no qual me encaixo. Nada milagroso. No meu caso já sabemos que não vou nunca produzir 20 folículos após uma estimulação. Mas decidi experimentar esse remédio no próximo ciclo.

Sem expectativas, que já não as tenho mais, sem esperanças, que já foram todas jogadas no lixo, sem acreditar, porque a fé não costuma, mas ela falha.





26 comentários:

  1. Oi, sinto muitíssimo pela sua dor. Desejo que Deus conforte seu coração. Conte comigo!
    Eu tomei enlova na segunda indução e depois de 5 dias meus folículos estavam crescendo de forma uniforme. Três deles só dispararam após o médico entrar com o fostimon 300iu, o mesmo que utilizei na primeira indução. Até fiquei cismada com o fostimon.
    Estou mandando muitas vibrações positivas para vc.
    Um grande beijo,
    Ptt (Fiv-Amadurecimento da Alma)
    http://fivamadurecimentodaalma.blogspot.com.br/?m=1

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, querida. Nunca usei esse Fostimon e pelo que o médico disse será outro remédio combinado ao Elonva. Vamos ver... beijos

      Excluir
  2. Olá, querida. Hj particularmente compartilho da mesma indagação que vc: como poderei suportar a ideia de não ser mãe pelo resto da minha vida? Estava aqui orando, resolvi abrir o blog e vi sua postagem. Orei por vc, seu esposo, seu lar. Sei que Deus tem algo muito especial para vcs, para nós. Busquemos Nele a nossa força. Permita-se chorar e viver este momento, mas não se esqueça de, em breve, se reerguer, pq sei que vc viverá um grande milagre em sua vida. Força e fé! Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Ana, mesmo. É reconfortante saber que conto com a torcida de tanta gente que nem me conhece. Beijos

      Excluir
  3. Olá, querida.
    Nunca comento porque nunca senti essa dor.
    Mas fui atrás de algo que mencionasse essa mulher que fez 14 FIVs e engravidou. Não sei se é o mesmo caso, mas encontrei um artigo de uma mulher que fez 14 FIVs e teve 8 gravidezes em 6 anos: http://www.kveller.com/we-finally-have-our-baby-but-we-lost-our-faith-in-god/
    Um forte abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Nane, obrigada pelo seu comentário. O caso a que eu me referi foi de uma brasileira, contado no livro "Quero ser mãe" da jornalista Claudia Colucci. Eu não conhecia a história dessa americana, é impressionante.

      Excluir
  4. Pensei em muitas coisas ao ler seu texto, queria encontrar um jeito de dizer algumas delas, mas acredito que, neste momento sensível, tudo o que você mais precisa é de um abraço. Deixo, então, palavras para depois. Receba meu afeto neste momento de dor.

    ResponderExcluir
  5. Minha querida, que Deus te conforte e afaste de ti todos estes sentimentos ruins, sinta se abraçada e conte com minhas oraçoes!

    ResponderExcluir
  6. Minha querida, que Deus te conforte e afaste de ti todos estes sentimentos ruins, sinta se abraçada e conte com minhas oraçoes!

    ResponderExcluir
  7. Oi linda... fiquei com olhos em lágrimas lendo seu texto. Eu só estou no começo e tem hora que penso em desistir.
    Você será uma dessas histórias... e vai nos dar esperança! Vai ser sua história que ferá muitas não desistir...

    tenha fé!!!

    PS: eu sou doadora, estava tudo certo para esse mês de agosto. Acredita que médico ligou e disse que a receptora engravidou naturalmente neste ciclo?!?! serio, é anonimo... mas sabemos que para alguém partir doação de ovulos é pq algum médico disse que não tinha mais jeito... né! fiquei feliz de verdade... milagres existem... acredite!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara, Andie, tomara! E que maravilhoso que a receptora engravidou! E que lindo também você ser doadoara.

      Excluir
  8. Vamos lá, vou te ajudar. Eu conheço sim, uma pessoa de 36 anos que passou por quatro FIVs, não engravidou e nesse exato instante está grávida naturalmente!
    Também sei de diversos casos de gravidez por ovorecepção. Não sei como você encara isso. Sei que é complicado pensar que genéticamente não será seu, mas será gerado no seu ventre, nutrido com o seu sangue e seu amor, amamentado com o seu leite e criado por você desde o primeiro dia de vida com o maior amor do mundo.
    Deus escolhe os nossos filhos. Ele só não diz de onde eles virão, que forma virão, mas sabe que aquela criança foi feita exatamente para nós.
    Acredite nisso!
    Você será mãe! Mas por hoje, se permita chorar e depois tente acalmar seu coração. Rezando muito por você.
    Um beijo bem grande!

    eontemeuchorei.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A ovodoação/recepção é uma alternativa incrível, mas por enquanto não é uma opção para mim. Obrigada pelas palavras. Estou melhorando aos poucos. Bjos

      Excluir
    2. Te entendo. Tbém tenho baixa reserva, ainda não fiz induçâo, mas a questão da ovorrecepção ainda se encontra fora de cogitaçâo pra mim e meu marido sabe disso. Mas calma! Confie que Deus sabe o nosso tempo melhor que todos nós! "Se cada noite é uma nova sombra, cada dia é uma nova luz." Um beijo bem grande e um abraço apertado!

      Excluir
  9. eu acho que li seu post umas 3x e até agora não sei o que dizer...
    a minha vontade é falar: vai, vai, tenta com esse novo medicamento, não desiste!
    eu tenho um feeling muito positivo sobre vc, de verdade!
    Mas imagino o quanto seja frustrante...

    Independente da escolha de vcs, por aqui sempre existirá apoio!

    ResponderExcluir
  10. Sinto mto...imagino como vc deve estar se sentindo
    Eu ja sou mae ,ja engravidei varias vezes e agora passo por algo parecido...nao consigo mais engravidar...é puxado.
    Queria ter palavras que enchessem seu coraçao de esperança...mas como falar isso com vc se meu coraçao tbm esta desesperançoso.
    Fique com Deus
    bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É duro, Nise. Um beijo e força pra você também.

      Excluir
  11. Sinto muito...Estamos juntas nesta decepção,sou mãe de um anjo, mas também gostaria de ter um filho comigo e está cada vez mais difícil, vc sabe já tentei com ovodoação sem sucesso, estou tentando novamente...Mas,parece ser um sonho cada vez mais longe e impossível...Não tenho palavras de animo para ti apenas compartilho tua dor e revolta...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lamento, Gabi. É mesmo muito difícil manter o ânimo. Mas é necessário. Estou na torcida por você também. Bjs

      Excluir
  12. Gostaria muito de poder falar algo que ajudasse um pouco mas infelizmente em certos momentos não há palavras suficientes. Mas quero que saiba que eu te entendo. Posso não ter exatamente a mesma história que vc mas te entendo. Em todas as tuas palavras eu te entendo perfeitamente. Não precisas colocar ali explícito, te entendo nas entrelinhas. se quiser conversar, é só chamar, saberei te ouvir.
    Um abraço bem apertado.

    detalhesmaissimples.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Querida Barriga Positiva,
    como eu entendo a tua dor.....
    Mas há que continuar a acreditar e ter esperança!
    Em Portugal, houve uma menina que fez 20 tratamentos, e pelo meio teve uma gestação de gémeos que acabou por perder já no 2ª trimestre. No seu 20º tratamento conseguiu engravidar e hoje tem uma linda princesa.
    Nós também vamos conseguir....
    Beijinho grande!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que história incrível. Obrigada por compartilhar. Beijos!

      Excluir